segunda-feira, 14 de setembro de 2020

ADVOGADOS ABANDONAM BARCO E DEIXAM CLIENTES A VER NAVIOS

 


Já atingido e vivendo A MELHOR IDADE fui me aventurar em usar os serviços de um advogado, e vi coisas da justiça que eu não imaginava nem morto.

1. Logo no início é feito um contrato com multa UNILATERAL em sua rescisão. Só o cliente será penalizado se romper o contrato.

 

2. Estando com todos os preparativos para visitar meu país natal após ter saído logo ao nascer recebo um telegrama em que meu advogado dizia que estava abandonando a causa e me dava 15 dias para eu colocar outro. Atrapalhando todos meus preparativos de viagem saí A CAÇA DE NOVO ADVOGADO. Seria a segunda vez que eu recebia um telegrama desses.


3. Alguns advogados perguntavam: “Você tem testemunha para puxar a sardinha para seu lado?”. No que eu respondia: “Eu tenho inúmeras testemunhas, mas se for partir do princípio de que irá puxar a sardinha para algum lado PODE ENTERRAR O DIREITO”.

 

4. O Juiz pede que seja acompanhado de testemunhas, sob PENA DE PRECLUSÃO. Em uma audiência que foi interrompida antes do início, uma testemunha da empresa foi chamada e o o Juiz disse-lhe que ela estava ciente de se não comparecesse na próxima estaria sujeito a CONDUÇÃO COERCITIVA.

5. Na próxima audiência a Empresa solicitou ao Juiz para a testemunha ser dispensada de depor e o Juiz acatou. QUAL O MOTIVO DE TODO AQUELE CIRCO DO ITEM ANTERIOR?

6. O último advogado que só participou da última audiência, se borrava todo ao dizer esse JUIZ É CURTO E GROSSO no que eu replicava eu PREFIRO ASSIM não gosto de Juiz que fica enrolando. Demonstrava tanto medo do Juiz que solicitou outro advogado de seu escritório (não trabalhista) para encarar o Juiz e ele apenas presenciar. Apesar de ter participado apenas da última audiência que foi infrutífera, fez questão DE RECEBER REFERENTE A TODO O PROCESSO na parte em que foi ganha. E ficou culpando (malhando até) os advogados anteriores pela perda dos demais itens.

7. Eu saí de Itatiba e fui até S Paulo e consultei inúmeros Escritórios Trabalhistas, e só embarquei porque um me deu total confiança até no nome Tofoli... Imediatamente após a primeira audiência referente apenas a DANOS MORAIS em que a Empresa exigiu e a juíza acatou que fosse incluída a minha demissão SEM JUSTA CAUSA E SEM HOMOLOGAÇÃO DO SINDICATO, o Escritório abandonou o barco alegando que tinha rompido contrato com a terceirizada que atendia a minha região, comunicando-me por telegrama que eu tinha 15 dias para colocar novo advogado...

8. A Juíza deu dez dias para meu advogado fazer um aditamento da IMPOSIÇÃO da Empresa de incluir minha DEMISSÃO IMOTIVADA E COM RECUSA SINDICAL DE HOMOLOGAÇÃO (talvez seja o motivo dele abandonar o barco). E uma perícia médica só foi executada 18 meses após solicitada, em que o perito foi claro ao dizer que o problema incapacitante existiu na época mas hoje o periciando está COMPLETAMENTE recuperado. Após 18 meses qualquer leigo teria feito o mesmo parecer SEM PERICIAR.

(TODO O CONTEÚDO ACIMA PODERÁ SER COMPROVADO ATRAVÉS DO LINK:   
https://pje.trt15.jus.br/consultaprocessual  
processo: 0011189.95.2014.515.0145)


 COMO ERA INICIANTE NESSE NEGÓCIO DE JUSTIÇA ACHEI TUDO CONFUSO, ILÓGICO, ETC Com um final muito mais surpreendente e inesperado:

- O Juiz determinou o pagamento do seguro desemprego.
- O MTE não acatou a Ordem Judicial dizendo que era Empregado Público e não teria O DIREITO por não poder ser DEMITIDO SEM JUSTA CAUSA. Se passaram mais de QUATRO ANOS para eu ouvir isso... 



FIQUEI COM A IMPRESSÃO DE QUE AS ESTATAIS USAM O JUDICIÁRIO PARA ESQUENTAR DEMISSÕES ILEGAIS E/OU SEM JUSTA CAUSA NÃO HOMOLOGADAS POR SINDICATOS...


domingo, 13 de setembro de 2020

MEMÓRIAS DE MEUS EMPREGOS EM ESTATAIS








Percebi nas duas estatais em que trabalhei que o requisito principal para ocupar cargo de chefia em estatais era NÃO TER DIGNIDADE, tendo em vista que: a chefia imediatamente acima da imediata (eng. Polezzi) disse ao Juiz em oitiva não ter trabalhado diretamente com o funcionário; a chefia do RH recusou o recebimento da intimação para depor (o não comparecimento ficaria sujeito a CONDUÇÃO COERCITIVA) que fui entregar pessoalmente, alegando que deveria consultar o Jurídico da empresa, no que respondi : “Receba e assine que depois poderá conversar com quem quiser”, não recebeu e fui obrigado a enviar via correios com AR; a minha chefia imediata (Eng Dionísio) recebeu via AR, mas no dia da audiência o advogado da empresa alegou ao juiz que ele tinha ido como TESTEMUNHA DA EMPRESA e solicitou dispensa de seu depoimento, que foi acatado pelo Juiz que não quis ouvi-lo presente e intimado como minha testemunha. Talvez tenha sido esse requisito tão necessário (NÃO TER DIGNIDADE) que nunca nem fui sondado para aceitar (o que me levaria a pensar muito antes) qualquer cargo....
(O CONTEÚDO ACIMA PODERÁ SER COMPROVADO ATRAVÉS DO LINK:   https://pje.trt15.jus.br/consultaprocessual  processo: 0011189.95.2014.515.0145)

Foi apenas uma pequeníssima amostra mas vou terminar com estas duas cartas encaminhadas à enersul.

1. Carta ao Presidente da Empresa, que tendo em vista MINHA DIGNIDADE eu não permitia o uso de meu nome em brigas contra o sindicato como a Empresa estava procedendo.
2. Carta à Diretoria através do Chefe de Departamento, ignorando a chefia imediata porque esse tipo de chefia ser apenas CHEPONE, que tendo em vista a MINHA DIGNIDADE frente aos acontecimentos provocados pela empresa eu solicitava a minha demissão.







quarta-feira, 19 de agosto de 2020

SAGA DE HUMANO SEPTUAGENÁRIO QUE SEMPRE ESTEVE EM GRUPO DE RISCO

 

SAGA DE UM HUMANO SEPTUAGENÁRIO QUE SEMPRE ESTEVE EM GRUPO DE RISCO

Nasci em plena ditadura de Salazar (Portugal).
Percorri a Ditadura Militar Brasileira como um ESTUDANTE ESTRANGEIRO, de cabo a rabo, apesar de grande duração foi o único período em que vivi como um CIDADÃO PLENO DE DIREITOS (civis, políticos, humanos) que foram totalmente reconhecidos e respeitados.
Morei por 20 anos na cidade de Campo Grande, PRINCIPAL ROTA DE TRÁFICO de narcóticos e armas do Brasil. Trabalhando diretamente numa das mais perigosas fronteiras secas: Brasil/Paraguai, atravessando-a constantemente inclusive à noite.
Com resistência e resiliência consegui sobreviver ao período PÓS DITADURA, Itamar e FHC, que considero o período de maior ignorância.
Aproximando dos 70 de idade, COMEÇO A OUVIR ABERTAMENTE: “Você está em grupo de risco e terá de ser exilado (isolamento total)”. E apesar de não ter nenhuma aptidão política fui obrigado a USAR MÁSCARA, pela primeira vez na vida.
A única vez que tinha ouvido diretamente que estava em grupo de risco foi após ter trabalhado por quase 12 anos (durante a ditadura) em uma estatal e ter minha presença solicitada pela diretoria da Empresa (ENERSUL) para esclarecer uma carta que eu tinha enviado ao presidente da empresa solicitando que meu nome não fosse usado pra brigas contra o sindicato. Meu amigo e Irmão Eng. Carlos Nakao usou a expressão: “Siga o que a empresa quer porque no futuro você poderá vir pedir e será tarde”. Nesse momento pensei comigo mesmo:”Ele não deve estar muito certo da cabeça, porque ele me conhece desde o dia da minha admissão (foi a primeira pessoa que conheci na Empresa e no Mato Grosso) e sabe muito bem que em HIPÓTESE ALGUMA eu iria até a diretoria pedir alguma coisa, a não ser a minha demissão, o que acabou acontecendo (EU PEDI EM CARTA DIRECIONADA À DIRETORIA).














sábado, 15 de agosto de 2020

SERÁ QUE FREUD CONSEGUIRIA EXPLICAR O MEU MODO DE SER?

 SERÁ QUE FREUD CONSEGUIRIA EXPLICAR O MEU MODO DE SER?

FORAM DOIS JOSÉS QUE ME INSPIRARAM: Meu pai e Minha cidade de infância e adolescência: José do Rio Preto (SP), incluindo a classe política na época em que Vereador não recebia remuneração direta, e que a cidade recebeu um diploma do Presidente Juscelino em 1956 como o Município de maior progresso DO BRASIL..

Sempre agi de forma fora do normal:
- Meus dias são preenchidos por alguma atividade, braçal, manual, intelectual, etc
- Com carteira assinada minhas atividades foram EXCLUSIVAMENTE EM ESTATAIS (duas). E o meu modo de ser destoou totalmente da normalidade, sempre desempenhei minhas funções COM MÃOS LIMPAS e nunca pratiquei crime 
de COLARINHO BRANCO, assim como nunca aceitei qualquer tipo de corrupção, incluindo NEPOTISMO...
- Com mãos hábeis na lida com o esquadro e o compasso foi fácil eu conquistar o grau de Mestre (em Engenharia), mas mesmo em tal grau eu não abandonei as ferramentas anteriores como 
enxada, enxadão, pá, picareta, soquete, foice, martelo, etc
- Minha mão sempre esteve estendida quando solicitada. No colégio na ajuda em aulas de reforços para colegas e alguns desconhecidos que me procuraram. Na faculdade (Barretos), apesar de ter frequentado apenas Escolas Públicas na cidade de S. J. do Rio Preto (SP), fui solicitado para ajuda escolar por muitos que frequentaram as melhores escolas de São Paulo (capital), como Colégio Bandeirantes. Lembro-me de uma ocasião em que fui convidado por colegas de uma República compostas por paulistanos, entre eles um filho de Antônio Ermírio de Moraes para ajuda na matéria Cálculo Diferencial e Integral. Minha mão também foi utilizada na ajuda de reparos residenciais e equipamentos eletro/eletrônicos...
- Em um aspecto eu nunca me senti muito bem: quando solicitada ajuda material, porque sempre gostei de mostrar que o material deve ser para compensar algo feito pelo corpo ou pelo espírito..
- Em outro aspecto também senti-me totalmente fora da normalidade: durante toda minha vida fui perseguido por vícios que não conseguiam colar em mim. Teve ocasiões em que me senti tão anormal em meu grupo mais próximo que até me esforcei para ser igual MAS ALGUMA COISA IMPEDIU...














sábado, 11 de julho de 2020

ENVELHECER A DOIS É FAZER DA VIDA A MAIS BELA BELA POESIA...








 












BODAS DE PRATA DOURADA EM QUARENTENA (2020).     


EM TODA POESIA COMO NA VIDA TAMBÉM HÁ TRECHOS INFELIZES, MAS QUE SÃO TOTALMENTE SUPERADOS:
Logo após o casamento fomos para o Mato Grosso, que tinha em Rio Preto a fama nos Bingos ao ser cantada a pedra 38: “É a lei do Mato Grosso”. Ainda em Lua de Mel, retornando à Rio Preto para buscar os presentes recebidos, sofremos acidente em que o carro foi totalmente
destruído e o CASAL NÃO SOFREU NADA, por não estarem usando o CINTO (não obrigatório na época) e jogados para fora do carro. ISSO NÃO TERIA SIDO ADVERTÊNCIA PARA NÃO IR PARA TAL LOCAL INÓSPITO?                                                  







quarta-feira, 1 de julho de 2020

ASSIM ERA S J DO RIO PRETO (SP) NOS ANOS 60\70

ASSIM ERA S J DO RIO PRETO NA MINHA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA: uma cidade composta de pessoas humildes, trabalhadoras e estudiosas, em que a juventude vivia em aglomerações ao redor de sua bela Catedral, onde todos os sábados e domingos havia o tradicional footing na Rua Bernardino de Campos, com a pequena nascente na lanchonete Salada Paulista, local onde tive o prazer de saborear um dos melhores lanches no pão francês, que perde apenas para o que meu pai fazia em seu boteco da Vila Esplanada. O footing se alimentava e avolumava pelos canais vindo dos términos das Missas na Catedral (que eram assistidas por muitos jovens), encerramento das sessões dos cines Rio Preto, Ipiranga e São Paulo, e terminava nas proximidades do fórum onde era feito o retorno, e ficava em um vai-vem de jovens de ambos os sexos se admirando mutuamente, onde os homens normalmente permaneciam parados nas calçadas e as mulheres desfilavam... Nessa época as famílias de bem orientavam os filhos para estudar, trabalhar, poupar, SEM USAR MÁSCARA, e fazer previdência para poder usufruir de uma velhice saudável e respeitada... Ao amadurecerem e tornarem-se adultos, muitos deixaram a cidade e com as orientações recebidas foram demonstrando por onde passavam serem livres e de bons costumes...

Com a orientação da nova ordem mundial, a cidade foi aos poucos sendo transformada, a bela Catedral foi substituída por outra MODERNA, agora cercada por grades, os cinemas foram desativados, e a outrora Rua Bernardino que expelia vida por todos os lados, hoje tem suas noites como uma RUA MORTA... a cidade se adaptou tão bem à nova ordem que já tem quem mostra suas fotos mostrando muitas luzes e pouca humildade dizendo: não confunda não é Las Vegas (a cidade do pecado)...

E DO ORIENTE veio o vírus, que muitos políticos dizem que foi para que todos fossem igualados: TODOS DEVERIAM USAR MÁSCARA, mas no aspecto financeiro e de poder nada mudaria... aquela juventude livre, socialmente aglomerada, trabalhadora e que fez sua devida previdência, está condenada ao confinamento, muitos entram em hospital e ficam totalmente incomunicados até que suas famílias recebem lacrado algo que dizem conter corpos mas não podendo serem violados...



terça-feira, 2 de junho de 2020

TRILHEI O CAMINHO DA LEI E DOS BONS COSTUMES (NA MINHA CONCEPÇÃO)


Nesta vida o que mais busquei foi a Liberdade, mas só consegui a LIBERDADE DE PENSAR, e me dei muito mal. Logo ao nascer meu Norte estava  no Ocidente, e antes de um ano já fui embarcado para atravessar um Oceano na segunda classe de um navio do início dos anos 50. Trilhando sempre o caminho Legal fui diversificando meus ofícios, na MINHA OFICINA INTERNA, camponês, engraxate, recolhedor de recicláveis (nos anos 50), vendedor de pinga e cigarros e outras bebidas e alimentos (NO BAR DO MEU PAI), professor de reforço escolar sem fins lucrativos para colegas e outros agregados, datilógrafo, engenheiro, programador de computador, professor universitário, entre muitas outras atividades gratificantes, todas durante O REGIME MILITAR BRASILEIRO (como um estrangeiro qualquer). Terminado o período Militar precisei me rebolar muito para tentar desviar dos ataques de ódio e ignorância por onde passava... Até atingir a MELHOR IDADE e virar POETA DO AMOR AOS BONS COSTUMES... Sempre correndo velozmente dos vícios que me perseguiam...

Tendo passado pela REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA DE 1964, vendo os atos praticados por PESSOAS QUE DIZEM SEREM DEMOCRATAS, e convidado a participar do convívio com pessoas QUE DIZIAM SEREM COMBATENTES DE VÍCIOS foi o período em que mais álcool ingeri e mais tabaco atingiu meus pulmões vindo de cigarros de amigos nenhum pouco respeitadores... cheguei a conclusão que essa minha vida não era considera de BONS COSTUMES e psicólogos observando meu distanciamento tão grande da média com certeza diriam: ELE NÃO PASSA DE UM ALIENADO...

Nada do que era ilegal e que necessitava de língua afiada esteve na minha oficina: ESTELIONATÁRIO, TRAFICANTE, CURANDEIRO, e até mesmo em ser um Político, tendo em vista nunca achar essa profissão muito Legal...





 






quarta-feira, 13 de maio de 2020

NASCI UM PASTORINHO DE FÁTIMA ENVIADO PARA UMA CIDADE PRESÉPIO


Nasci um Pastorinho na região de Fátima, e imediatamente (11 meses) fui enviado RUMO AO OCIDENTE para uma cidade DO OUTRO LADO DO OCEANO, que viria a ser rotulada de CIDADE PRESÉPIO, com uma linda catedral que dava toda significância ao título. Uma cidade que brilhava muito mais quando não tinha luzes artificiais (SÃO JOSÉ DO RIO PRETO -SP).