sexta-feira, 2 de setembro de 2016

CHEGO AOS 64 TOTALMENTE VICIADO...

Ao completar 64 anos sinto-me totalmente viciado em:

Não tomar remédios.
Não fumar. (nunca fumei)
Não ingerir bebidas alcoólicas fortes ou em demasia.
Não ingerir drogas ilícitas, DE FORMA CONSCIENTE. (esse vício me acompanha desde que nasci)
Não agredir meu semelhante.
Instrução constante nas mais variadas vertentes e direções (em uma parte de minha vida eu deixei-me viciar pelo poder dos números e vivi dentro de um minúsculo RETÂNGULO QUADRADO)


AINDA BEM QUE DIZEM QUE EXISTEM OUTRAS VIDAS, NESTA FUI UM MAL APRENDIZ, MAS NA OUTRA VIREI PREPARADO PARA APROVEITAR E CHEGAR AOS 64 ANOS COMO UMA PESSOA NORMAL COM PELO MENOS ALGUNS DOS GANHOS CONDIZENTES COM A IDADE:
- Uma estante cheia de remédios.
- Algumas pontes de safena.
- Início de cirrose.
- Enfisema pulmonar ou alguma outra doença causada pelo fumo.
- Mal de Alzheimer.
- Curado de algumas DST.
- Doença de Parkinson.
- Algumas passagens pelo AA.
- Algumas internações hospitalares.
- Alguns ou diversos títulos processados.
- Alguns divórcios.
- Algumas marcas de AVC.
- Algumas sessões de terapia.
- Algumas vantagens obtidas por NEPOTISMO, no trabalho, nos estudos e/ou na aquisição de documentos.


Meu amado Deus eu lhe prometo que irei me esforçar bastante para ser considerado normal dentro do mundo em que criar e me colocar na próxima viagem, assim ela será mais suave quando em contato com os seres normais, e desfrutarei de todos os prazeres que me forem oferecidos...


DESCULPE-ME SENHOR, POR TER DESPERDIÇADO ESTA VIDA ANDANDO NO SENTIDO CONTRÁRIO!

A MAIOR DESGRAÇA


segunda-feira, 29 de agosto de 2016

ESTE É O MEU CORAÇÃO!

Ao tentar doar sangue em uma campanha em que a SABESP aderiu, no Hospital Itatiba (SP), a enfermeira ao medir minha pressão mostrou-se muito apreensiva com o elevado valor acusado, impedindo-me de doar e questionando com muita preocupação: “VOCÊ NÃO ESTÁ SENTINDO NADA?”
Tendo em vista o ocorrido fui, pela primeira vez, aos 58 anos, consultar-me com um Cardiologista, e na data de 25.01.2011 o laudo do ECG mencionou: ALTERAÇÃO DE REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR, tendo me receitado medicação contra hipertensão.
Na data de 10.01.2012 (quase um ano após e em local diferente), ao realizar novo ECG o laudo foi o mesmo anterior.
A partir de uns três meses após a minha saída da Empresa, comecei a sentir-me mal e ao aferir houve constância de pressão muito baixa, e resolvi abolir os remédios, durante algum tempo oscilando abaixo e um pouco acima da normalidade, foi se normalizando.

Passado um longo tempo (em torno de dezoito meses) resolvi consultar um médico para avaliação, e o Laudo do ECG apresentou: “REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR PRESERVADA”, o que me surpreendeu bastante.




FICA A SUGESTÃO PARA ALGUM CARDIOLOGISTA PESQUISAR. E ATÉ LEVAR A CONGRESSO, A POSSIBILIDADE DE CARTEIRA ASSINADA EM ESTATAL PARA PROFISSIONAL QUE TEM RESPONSABILIDADES SOBRE O QUE ASSINA, FORA DA EMPRESA, SER CAUSA DE MALES FÍSICOS NO CORAÇÃO.

EXEMPLO DE UMA, DAS INÚMERAS ABERRAÇÕES, EM QUE FUI SUBMETIDO:
Tendo recém acessado a uma Empresa Pública (SABESP), ao cruzar um funcionário nos corredores fui abordado pelo mesmo que pediu para entrar em seu carro (aparentando ser próprio) e levando-me a circular por diversas instalações da Empresa, onde eu nunca tinha pisado, e em seguida ordenou-me (um Engenheiro com grau de MESTRE, sem questionar-me para qualquer sugestão) para que fizesse os projetos de instalações elétricas num prazo de quinze dias. No momento pensei: "Esse meu colega de trabalho pirou, parece que ele não entende nada da arte em que se aventurou". Tendo ele aparecido em nossa sala, ao sair um colega (meu amigo Flávio) disse-me: "Você viu esse baixinho e gordinho que estava aqui? Ele manda em todos nós." Nesse momento fiquei sabendo que ele era o segundo escalão no prédio (com formação na área econômica/administrativa) e agia de forma ditatorial. Tendo em vista a apresentação dada fiz o que foi ordenado (SEM PLANTAS, SEM MEDIDAS E SEM CONHECIMENTOS DAS INSTALAÇÕES EXISTENTES), mas para garantir-me em termos de responsabilidades, e por não haver tempo hábil (encaixando nos serviços da rotina e dos "pra ontem" da chefia imediata) para cálculos, especifiquei todos os materiais e equipamentos muito acima do que provavelmente poderia ser. E COM ISSO O PREÇO ACOMPANHOU A DIFERENÇA. Mas como minha Santa Protetora é muito forte, após a compra do material, que foi depositado numa baixada (ETE Santa Cruz), na primeira chuva ficou tudo debaixo d'água. E fui percebendo como o dinheiro público, e de acionistas minoritários que não têm voz, era desperdiçado (inicialmente com materiais superdimensionados, em seguida com a chuva inundando-os)... 

terça-feira, 23 de agosto de 2016

DIGA DE ONDE VENS QUE A POLÍCIA DIRÁ QUEM ÉS...


Em meus derradeiros dias morando em Campo Grande – MS (onde estive por 18 anos), após ter deixado o Estado de São Paulo (onde tinha morado por 24 anos), estava em São José do Rio Preto (SP) estacionado em frente a uma casa de minha propriedade, rua Saldanha Marinho, nas proximidades da UNIRP da Boa Vista, aguardando a entrega de materiais para reforma. De repente uma viatura policial passou bem devagar ao lado e estacionou em frente. Saíram dois policiais com as mãos encostadas nas armas e me abordaram, solicitando documentos e revirando o interior e porta-malas do meu veículo, e bombardeando com perguntas ásperas. A situação só sofreu um relaxamento quando perguntaram: “Onde você pernoita quando está em Rio Preto” e respondi: “Na casa de minha mãe na Rua Campos Sales ao lado da residência do Prefeito da Cidade, que por acaso é meu Primo”. Aí foram se despedindo e se desculpando dizendo que eu estava estacionado em local suspeito. Não entendi ao que se referia mas completei: “E dentro de um carro com as placas (MS) de um ESTADO SUSPEITO”. Eles esboçaram uma leve concordância e se despediram...

Como meu BLOG tem visualizações em todas as partes do mundo, e caso alguém não entenda a ocorrência, completarei com links de notícias corriqueiras na mídia, para esclarecer a atitude dos policiais:


Jornal Carioca diz que MS é entreposto e Corumbá paraíso do tráfico

Rota do tráfico: PF apreende maconha, fuzil e 20 granadas que iriam para o RJ
http://www.midiamax.com.br/policia/rota-trafico-pf-apreende-maconha-fuzil-20-granadas-iriam-rj-300091

Apreensão de carreta mostra esquema de rota alternativa para o tráfico entre MS e PR
Traficantes presos pelo DOF levariam maconha para Campo Grande
http://www.navirainoticias.com.br/traficantes-presos-pelo-dof-levariam-maconha-para-campo-grande/

Governo de MS gasta R$ 11 milhôes por mês com presos na 'rota do tráfico'


sábado, 20 de agosto de 2016

PEDRO PEDREIRO (PIERRE MAÇON)

A VIDA É TÃO CURTA QUE DENTRO DAS ATIVIDADES QUE ME FORAM DADAS AS OPORTUNIDADES... COM INÍCIO DO MEU NOME CONSEGUI APENAS: PEDRO PEDREIRO POETA PROFESSOR PIPEIRO PROJETISTA PROGRAMADOR PINTOR PERITO PENSADOR PATRÃO  PESQUISADOR PHOTOGRAPHO PHILOSOPHO PROPRIETÁRIO POLIGLOTA PALHAÇO... 
A QUE MAIS ME PROPORCIONOU SATISFAÇÃO: PROFESSOR
A QUE MENOS ME DEU SATISFAÇÃO: PATRÃO
AS QUE NUNCA ME ATRAÍRAM: POLÍTICO, PORNÓGRAFO, PADRE, POLICIAL, PASTOR, PANELEIRO, PARASITA E PROXENETA
A QUE ME FORÇARAM: PALHAÇO


Já nasci um PEDRO PEDREIRO, e assim foi pela vida afora, mas ao contrário daquele descrito por CHICO BUARQUE DE HOLANDA... Já em torno dos sete anos as minhas mãos descobriam a habilidade na lida com a MADEIRA, construindo uma caixa de engraxar sapatos... em seguida as habilidades foram se aflorando na lida com a PEDRA, o METAL, o PAPEL,  o GIZ, a CERÂMICA, o PLÁSTICO, o VIDRO... 


A habilidade na PEDRA, entre inúmeras, ficou concretizada na construção dessas estantes:


Durante o período de 2000 a 2007, a habilidade na lida com a CERÂMICA ficou concretizada no revestimento de mais de 2.000 m2 de pisos e paredes.
Só na casa abaixo foram mais de 500 m2 de CERÂMICA, e troca de toda instalação SANITÁRIA, HIDRÁULICA, ELÉTRICA, dos VIDROS, do FORRO (de madeira para PVC), e de algumas portas e janelas... SEMPRE SOZINHO NA COMPANHIA DE DEUS...






sexta-feira, 19 de agosto de 2016

FOTOGRAFAR É MINHA PRAIA... NA PRAIA MELHOR AINDA...

Eu já viajei (no volante) por este Brasil de Norte a Sul e Leste a Oeste, incluindo estradas do Pantanal e parte precária da Transamazônica. E também por quase a totalidade do Litoral, de Barra Velha (SC) a Belém (PA), passando por Porto Seguro (em 1983, quando era pouco urbanizada, e no virar do ano 2000) e pelos belos Lençóis Maranhenses. Então meu Blog não poderia ficar sem mostrar um pouco dos animais que fotografei nas Praias Brasileiras.


























quinta-feira, 18 de agosto de 2016

ITATIBA (SP), UMA CIDADE FORA DOS PADRÕES BRASILEIROS


Itatiba, cidade distante 80 km de São Paulo, tem uma faixa de pedestre em sua principal artéria em frente ao Hipermercado Extra, sem semáforo, onde normalmente quando os pedestres se aproximam, os carros param de imediato e até fazem sinal para passarem. Isso eu já tinha notado nas ruas centrais da cidade, até quando a travessia era feita no meio da quadra.

Muito diferente da cidade em me que mais tempo vivi, São José do Rio Preto (SP), onde diversas vezes quase fui atropelado na faixa por carro em alta velocidade e buzinando. Certo dia comentando esse detalhe com meu Primo Manoel Antunes, ex Prefeito Municipal, ele disse: "Isso é falta de educação para o trânsito". O que deixou-me com uma certa interrogação: "Como uma cidade que não educa seus moradores com relação a cidadania é considerada uma das melhores cidades para se viver?" E também da segunda cidade em que mais tempo vivi (Campo Grande - MS), onde minha esposa acompanhada por três crianças, que tinham saído da escola, quase foram atropeladas na faixa, com semáforo acusando vermelho para o motorista, na Rua Bahia (Jardim dos Estados), nas proximidades de nossa residência. Para Campo Grande, admite-se uma explicação: É UMA CAPITAL, de um estado que tem um nome significativo: MATO GROSSO. Inclusive nela minha família passou por diversas barbáries praticadas por muitos Engenheiros (colegas de trabalho), um oficial da Polícia Militar e Oficiais das Forças Armadas - que, quando diziam já haver democracia, fizeram destruir toda a belíssima imagem que eu tinha dos militares quando governaram, tendo vivido durante todo seu período, na maior parte como um estudante estrangeiro, e tive todos os meu direitos respeitados (humanos, de cidadãos e constitucionais), e não senti nada parecido com uma DITADURA.

Algo similar, no trânsito, eu só tinha observado em Blumenau (estado de Santa Catarina), mas com uma diferença: lá foi na região central, e essa faixa de Itatiba a que me referi fica em uma via de interligação de Rodovias, de um lado Anhanguera e Bandeirantes, e de outro D Pedro I.

TODA REGRA TEM EXCEÇÃO: Já testemunhei, no centro de Itatiba, alguns pedestres sendo desrespeitados. Mas nas outras duas cidades nunca vi algum pedestre esperando para acessar a faixa e o motorista parando e gesticulando para ele passar.