terça-feira, 19 de março de 2013

DENTRO DA MENTE DE UM PSIQUIATRA

Como os psiquiatras pesquisadores mais famosos foram do sexo masculino, o objeto preferido que tiveram em foco foi a mulher... coisa de gênio ou louco?

Será que eles conseguiriam explicar por que muitos homens (que não exteriorizam nada de homossexualidade) gostam de se travesti de mulher como fantasia de carnaval?


Em seu texto sobre o fetichismo (7), Freud vai dizer que o fetiche é um substituto para o pênis, não para qualquer pênis, mas para o pênis que o menino antes acreditou que a mãe possuía. Através do fetiche, há uma recusa em aceitar a percepção de que a mãe não tem pênis.
(Como são os homens que usam fantasia de mulher, até parece que são eles que têm em seu subconsciente a recusa em aceitar a percepção de que o pai não tem vagina).

A investigação freudiana da etiologia da histeria teve como base a interrogação “o que quer uma mulher?”

Freud presumiu na nossa vida mental a existência de dois impulsos, o sexual e o agressivo. Os dois impulsos se encontram normalmente fundidos. Assim um ato de crueldade pode possuir um significado sexual inconsciente como um ato de amor pode ser um meio inconsciente de descarga do impulso agressivo. (http://www.cefetsp.br/edu/eso/filosofia/topicosfreud.html)


“A religião é comparável a uma neurose da infância.”



"Não descobrimos num doente mental nada de desconhecido ou novo. Encontramos neste doente as bases de nossa própria natureza."


Descobriu (Carl Jung), assim, algo que chamou de “inconsciente coletivo”: para ele, os padrões de comportamento individuais também têm origem em uma série de experiências acumuladas e herdadas da própria humanidade, que permanecem registradas na camada mais profunda do inconsciente e determinam nosso modo de agir. (http://www.triada.com.br/cultura/cultura/aq180-238-1271-3-filosofia-e-psicanalise-abra-a-mente.html)


Ele (Alfred Adler) criou o termo "complexo de inferioridade" e afirmava que todas as crianças são profundamente afetadas por um sentimento de inferioridade, conseqüência inevitável do tamanho da criança e de sua falta de poder. 


Para Adler, a luta pela superioridade pessoal seria uma perversão neurótica, resultado de um forte sentimento de inferioridade e uma falta de interesse social.  (http://www.psiqweb.med.br/site/?area=NO/LerNoticia&idNoticia=186)


"Todo amor é recíproco, mesmo quando não é correspondido.” (Lacan - http://www.frases.psicologiamsn.com/2012/04/lacan-amor-correspondido.html)


O psicanalista Lacan disse que "A Mulher" não existe, pois não há nenhuma coisa que as unifique. 


Lacan vai formular então outro aforismo polêmico: “A relação sexual não existe”. 

Tenho medo de um dia precisar de um profissional desses, e ser forçado a passar por uma psicanálise pra pensar como ele, para não ser considerado louco... Muitos são aprisionados para tratamento por um psiquiatra, demonstrando que o homem não tem direito à liberdade nem sequer da alma...









Um comentário:

Pierre da Gama disse...

Como os psiquiatras pesquisadores mais famosos foram do sexo masculino, o objeto preferido que tiveram em foco foi a mulher... coisa de gênio ou louco?