Seguidores

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

SOU UM DEPENDENTE QUÍMICO SEM CURA

Tem noite em que sinto a embriaguez me tomar por completo. Chego a me sentir tão embriagado que nem percebo a noite passar. De manhã, ainda de olhos semi cerrados, vou me reanimando muito   lentamente, totalmente atordoado, e vislumbrando as nossas roupas misturadas e esparramadas, sentindo seu corpo quente colado ao meu. Vou rememorando, aos poucos, em que palco fora transformado nosso quarto. Estivemos tão embriagados de amor que torna-se impossível até estimar quantas vezes fizemos amor.

Tem dia em que tomo uma overdose química... a química de um olhar sincero... a química de um toque em um momento mágico... a química de um beijo com sabor de mulher sem nenhum resquício de álcool  ou nicotina, ou até mesmo de hortelã ou morango... a química de um suspiro ofegante vindo de pulmões que nunca souberam o que é uma fumaça de tabaco...


O álcool que ingiro é o amor...
As químicas que alimentam meu sangue são provenientes de sentimento humanos puros...
Não quero e nem aceito ajuda para me recuperar desses vícios. Quero mesmo é me aprofundar cada vez mais...

3 comentários:

Pierre da Gama disse...

Tem noite em que sinto a embriaguez me tomar por completo. Chego a me sentir tão embriagado que nem percebo a noite passar. De manhã, ainda de olhos semi cerrados, muito lentamente, meio atordoado ainda, vislumbro...

blogrios disse...

LÍNDÍSSIMA INSPIRAÇÃO, POETA!APLAUSOS! VISITE CIDA RIOS NO "
RECANTO DAS LETRAS"

Anônimo disse...

É o meu texto preferido!! Adoro!!