segunda-feira, 29 de agosto de 2016

ESTE É O MEU CORAÇÃO!

                            PRINCÍPIOS: PUBLICIDADE MORALIDADE E LEGALIDADE

Coloquei o meu nome para pesquisar no GOOGLE, na data de 02.12.16, e descobri uma publicação no Diário Oficial. Era a PUBLICAÇÃO da decisão de LEGALIDADE, no caderno LEGISLATIVO na data de 07.09.2016, do concurso público (SABESP) em que obtive a PRIMEIRA COLOCAÇÃO e assumido na data de 03.11.2009. Durante todo esse tempo diversas publicações ocorreram, comprovando os princípios de Publicidade e Legalidade dos atos públicos. Eu já tinha assumido um cargo em Empresa similar apenas enviando o Currículo (como era recém formado constava apenas a formação e dados pessoais) e imediatamente recebendo um telegrama para assumir o cargo. Fiquei pensando, o PAÍS é o mesmo, a empresa é similar (AMBAS ECONOMIA MISTA), qual seria a razão por essa discrepância? Só achei uma explicação o PAÍS é o mesmo, mas os ESTADOS são diferentes, e cada Estado sem os seus critérios de Legalidade e Moralidade. O mais recente é São Paulo o outro Mato Grosso (do Sul). Mas numa coisa essa Empresa de São Paulo não segue esses princípios, e nem algum escrúpulo: a demissão é feita de forma SUMÁRIA e às vezes aos supetões e SEM AVISO PRÉVIO....



ESTE É MEU CORAÇÃO

Ao tentar doar sangue em uma campanha em que a SABESP aderiu, no Hospital Itatiba (SP), a enfermeira ao medir minha pressão mostrou-se muito apreensiva com o elevado valor acusado, impedindo-me de doar e questionando com muita preocupação: “VOCÊ NÃO ESTÁ SENTINDO NADA?”
Tendo em vista o ocorrido fui, pela primeira vez, aos 58 anos, consultar-me com um Cardiologista, e na data de 25.01.2011 o laudo do ECG mencionou: ALTERAÇÃO DE REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR, tendo me receitado medicação contra hipertensão.
Na data de 10.01.2012 (quase um ano após e em local diferente), ao realizar novo ECG o laudo foi o mesmo anterior.
A partir de uns três meses após a minha saída da Empresa, comecei a sentir-me mal e ao aferir houve constância de pressão muito baixa, e resolvi abolir os remédios, durante algum tempo oscilando abaixo e um pouco acima da normalidade, foi se normalizando.

Passado um longo tempo (em torno de dezoito meses) resolvi consultar um médico para avaliação, e o Laudo do ECG apresentou: “REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR PRESERVADA”, o que me surpreendeu bastante.




FICA A SUGESTÃO PARA ALGUM CARDIOLOGISTA PESQUISAR. E ATÉ LEVAR A CONGRESSO, A POSSIBILIDADE DE CARTEIRA ASSINADA EM ESTATAL PARA PROFISSIONAL QUE TEM RESPONSABILIDADES SOBRE O QUE ASSINA, FORA DA EMPRESA, SER CAUSA DE MALES FÍSICOS NO CORAÇÃO.

EXEMPLO DE UMA, DAS INÚMERAS ABERRAÇÕES, EM QUE FUI SUBMETIDO:
Tendo recém acessado a uma Empresa Pública (SABESP), ao cruzar um funcionário nos corredores fui abordado pelo mesmo que pediu para entrar em seu carro (aparentando ser próprio) e levando-me a circular por diversas instalações da Empresa, onde eu nunca tinha pisado, e em seguida ordenou-me (um Engenheiro com grau de MESTRE, sem questionar-me para qualquer sugestão) para que fizesse os projetos de instalações elétricas num prazo de quinze dias. No momento pensei: "Esse meu colega de trabalho pirou, parece que ele não entende nada da arte em que se aventurou". Tendo ele aparecido em nossa sala, ao sair um colega (meu amigo Flávio) disse-me: "Você viu esse baixinho e gordinho que estava aqui? Ele manda em todos nós." Nesse momento fiquei sabendo que ele era o segundo escalão no prédio (com formação na área econômica/administrativa) e agia de forma ditatorial. Tendo em vista a apresentação dada fiz o que foi ordenado (SEM PLANTAS, SEM MEDIDAS, SEM CONHECIMENTOS DAS INSTALAÇÕES EXISTENTES E SEM VIATURA), mas para garantir-me em termos de responsabilidades, e por não haver tempo hábil (encaixando nos serviços da rotina e dos "pra ontem" da chefia imediata) para cálculos, especifiquei todos os materiais e equipamentos muito acima do que provavelmente poderia ser. E COM ISSO O PREÇO ACOMPANHOU A DIFERENÇA. Mas como minha Santa Protetora é muito forte, após a compra do material, que foi depositado numa baixada (ETE Santa Cruz), na primeira chuva ficou tudo debaixo d'água. E fui percebendo como o dinheiro público, e de acionistas minoritários que não têm voz, era desperdiçado (inicialmente com materiais superdimensionados, em seguida com a chuva inundando-os)... 


                     SÓ MAIS UMA BEM RAPIDINHA: Foi me entregue uma pasta volumosa, repleta de plantas e memoriais descritivos, referente a um empreendimento imobiliário, para análise e aprovação da parte elétrica. Ao dizer que necessitava de algum tempo para encontrar as normas da SABESP e ver se estavam sendo acatadas assim como as normas da ABNT tive como resposta: "Dê apenas uma passada de olhos e assine (COMO ENGENHEIRO) para tentar cumprir o cronograma que já está atrasado" (ao ouvir isso o meu mundo de engenheiro que já se encontrava mutilado por estatais, RUIU DE VEZ..)

Um comentário:

Pierre da Gama disse...

FICA A SUGESTÃO PARA ALGUM CARDIOLOGISTA PESQUISAR. E ATÉ LEVAR A CONGRESSO, A POSSIBILIDADE DE CARTEIRA ASSINADA EM ESTATAL PARA PROFISSIONAL QUE TEM RESPONSABILIDADES SOBRE O QUE ASSINA, FORA DA EMPRESA, SER CAUSA DE MALES FÍSICOS NO CORAÇÃO.