segunda-feira, 21 de setembro de 2015

ÁRVORES QUE PLANTAMOS... E CUIDAMOS...

A mais bela poesia é a natureza... FICAR ADMIRANDO A NATUREZA É FÁCIL... Fazer algo para que no futuro ainda possa ser vista e reverenciada como obra do Criador, não é nada fácil...
Eu já tentei ajudar a preservar essa beleza para o futuro....


Na minha primeira viagem ao Pantanal a serviços visualizei esta árvore, e sua bela imagem teve um grande impacto em minha alma. Paramos em sua sombra para apreciá-la mais de perto e peguei umas vagens que estavam caídas no chão. O motorista da Empresa, Sr. Ebel, um Senhor de idade e nativo da região, perguntou para que eu estava levando, e eu disse: "Vou plantar".  Ele: "Seus bisnetos a verão" "Vai levar mais de cincoenta anos para crescer". Eu nem liguei para o que disse, e plantamos (eu e minha esposa). Três anos  passados e ela estava assim, a da esquerda na foto abaixo. (Rua Guadalajara 99 - Jd América - Campo Grande MS)


Plantamos em frente da casa, também, a quaresmeira à direita e o avelós dentro do jardim.
Além dessas árvores, nesta mesma casa, nos fundos, plantamos um cajueiro, com sementes que foram trazidas de uma viagem ao Nordeste, abaixo.


Quando mudamos para a Rua Amazonas 2783, no Jardim Autonomista (Campo Grande MS), plantamos um pé de acácia (AO PLANTAR TINHA INTENÇÃO DE CUIDÁ-LO ATÉ A MINHA PASSAGEM PARA A ETERNIDADE) na frente e um pé de romã logo na entrada, dentro do jardim. Mas como estava sob efeito de um trabalho kardexista (dopagem da mente), e agindo meio inerte como um semi-zumbi, elas não foram fotografadas.

Agradeceria se algum morador da cidade de Campo Grande (MS) pudesse informar-me se alguma dessas, que foram apenas algumas, continuam vivas, ou se os homens destruíram tudo o que edifiquei quando por aí estive: família, árvores, etc E quase conseguiram até o caráter...

domingo, 20 de setembro de 2015

OS MAIS BELOS ACORDES

A coletânea pétalas da Editora Darda contém 4 poemas de minha autoria, entre eles: OS MAIS BELOS ACORDES


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

RELÍQUIAS DE UMA VIDA


Vasculhando os objetos do passado deparei-me com meu PRIMEIRO RG/RE (aos 18 anos), que constava: CARTEIRA DE IDENTIDADE (PERMANENTE)  PARA ESTRANGEIRO,  emitida pelo TÃO TEMIDO  DOPS (DE SÃO PAULO) em 1970 (Era Médici). Anos após na transição Médici/Geisel, ao solicitar a igualdade de direitos civis, o Ministério da Justiça mandou junto os Direitos Políticos (um estudante estrangeiro tornou-se igual a todos os brasileiros – todos não, somente igual àqueles que detinham os direitos políticos). Com toda segurança frequentei escolas públicas até ingressar uma Faculdade, que como fazia parte de uma fundação que recebia verbas do Governo, cobrava valor simbólico. POR ESSAS E MUITAS OUTRAS, e tendo uma vida preenchida diariamente com estudos e procura de alguma atividade, nem percebi que o Brasil vivia uma Ditadura Militar... Inclusive só fiquei sabendo coisas ditas após a sua queda, mesmo assim, com respeito a minha cidade SÃO JOSÉ DO RIO PRETO (SP), foram raras e de pouca significância, talvez por isso sempre foi uma cidade em progresso constante, por ter como lema: TRABALHO, MORAL E CIVISMO, independente da ideologia em vigor no País...
Mudei de cidade (Campo Grande - MT que em seguida mudou a sigla para MS) e, nos Governos Itamar e FHC, minha família passou, PELOS MILITARES, por situações que dizem que aconteciam na Época do Regime Militar, e eu não acreditava...




terça-feira, 8 de setembro de 2015

ÚNICA VEZ QUE TENTEI ALGO ATRAVÉS DE POLÍTICA...

Logo ao iniciar o meu curso de Mestrado na cidade de Ilha Solteira (SP), em 1994, a CESP realizou um Concurso Público do qual participei e fui classificado na PRIMEIRA COLOCAÇÃO. Sentindo no ar de que o concurso era exclusivamente para acomodar o pessoal que já estava interno na forma terceirizada e tendo um PARENTE POLÍTICO, Prefeito da Cidade de São José do Rio Preto (SP), bem conceituado pelo então Ex Governador Orestes Quércia, procurei-o tendo dito “Vim aqui para pedir um único favor: Não deixem roubar o que é meu por direito.”
Se foi feito alguma coisa eu não sei, mas não fui chamado (APESAR DE QUE CONSTAVAM 02 VAGAS NO EDITAL).

Refletindo cheguei a conclusão de que sou mesmo um verdadeiro ANALFABETO POLÍTICO, ao tentar alguma coisa, politicamente, contrária ao NEPOTISMO...

No curso de Mestrado eu tinha uma colega de Cuba (Maria Isabel) e comentei com ela: Você já percebeu qual é a coisa mais fácil no Brasil, não? É PASSAR EM UM CONCURSO PÚBLICO (ela foi testemunha de que não estudei praticamente nada). Percebeu também qual é a coisa mais difícil: É SER ADMITIDO ATRAVÉS DE CONCURSO PÚBLICO...



MATERIALMENTE, posso não ter muito, mas tudo o que tenho foi conseguido sem nenhuma interferência política, e, muito mais do que tenho foi me roubado ou dificultado por aqueles que utilizam-se desse meio para conseguir seus intentos... e muitos que se beneficiaram da política são os que mais malham os políticos, coisa que nunca fiz...

terça-feira, 1 de setembro de 2015

A VIDA NA TERRA SEGUE SEMPRE IGUAL...


Nos tempos de Cristo fizeram a pergunta: “É lícito dar tributo a César ou não?”
Nos tempos do Brasil Colonial: A fiscalização nas cidades mineiras aumentou e um polêmico imposto chamado derrama passou a ser cobrado.
Nos tempos atuais do Brasil: O governo estuda recriar a CPMF, o chamado “imposto do cheque”.

NA TERRA SEMPRE FOI ASSIM:
- Enquanto os de almas cristalinas, corações puros e com suas mentes revoltadas sonham que podem mudar este mundo comandado pelos maus, tornam-se presas fáceis para eles... por isso que nosso mundo está cada vez mais bárbaro (agora até barbáries mecatrônicas).
- Os Cristãos mostrando o lado consolador de Cristo, quase sempre ignorando o seu lado realista como: 
“E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.” ( Mateus,  24:12)